You are visiting a website that is not intended for your region

The page or information you have requested is intended for an audience outside the United States. By continuing to browse you confirm that you are a non-US resident requesting access to this page or information.

Switch to the US site

Este site utiliza cookies

Ao continuar usando este site, você aceita o uso de cookies. Para obter mais informações sobre cookies e a maneira como os usamos, veja nossa Política de Privacidade.

32 dias críticos
24 horas de cuidados
1 vida salva

Menina de três anos se recupera sem sequelas aparentes, após SDRA e falência múltipla de órgãos

O tratamento da menina de três anos começou após ela ter sido admitida na UTIP por dificuldade respiratória secundária a pneumonia lobal (raio x). Piorou gradualmente e tornou-se uma doença pulmonar grave com ajustes extremos do ventilador e hipoxemia persistente.

O raio-X tirado quando a paciente de três anos chegou com pneumonia lobar

A equipe teve dificuldade para colocá-la no ventilador e a sedação falhou em diminuir a agitação. Somente após 17 dias, quando a equipe dedicada decidiu tentar um modo de ventilação diferente, que a paciente melhorou.

A mudança para a Assistência Ventilatória Ajustada Neuralmente (NAVA) resultou em uma mudança imediata nos valores pulmonares. A frequência respiratória pulou para 50 respirações por minuto, o que é esperado. Ao mesmo tempo, houve uma queda do volume corrente para níveis mais protetores, então a equipe manteve essa opção. A agitação da paciente reduziu gradualmente, assim como a quantidade de suporte fornecido. A fração de oxigênio inspirado (FIO2) caiu de 90% para 60%. Esse realmente foi um momento decisivo.

Sete dias mais tarde, no 24º dia, a paciente foi extubada para a terapia de Alto Fluxo; ela finalmente teve alta do hospital no dia 32. A criança recuperou a fala e os movimentos sem quaisquer sequelas aparentes.